domingo, 9 de Agosto de 2009

Culto de Domingo

Hoje, no culto da tarde, o Pr. Jónatas Lopes conduziu-nos numa reflexão, versículo a versículo, sobre o Salmo 71. O Salmista começa por reconhecer que Deus é o seu refúgio. Isto é, somente Deus lhe oferece a segurança que Ele almeja. E quem se refugia em Deus, não tem do que se envergonhar. Porquê? Porque sabemos que Deus tem o melhor para nós. Logo, não importa o que nos digam os outros. Até porque não devemos depositar a nossa confiança em homem algum. Devemos, sim, olhar para Jesus, o autor e consumador da fé (Hebreus 12:2).
O Salmista está com um problema e clama a Deus por livramento. Pede-Lhe que incline os Seus ouvidos para Si. Nós também podemos fazer o mesmo. Ainda que não tenhamos ninguém à nossa volta para nos escutar, Deus está sempre pronto para nos ouvir. As palavras do Salmista revelam que ele depende totalmente de Deus. Deus é a sua rocha, a sua fortaleza, a sua esperança. Não obstante as dificuldades por que está a passar, o Salmista louva a Deus. Um exemplo do perfeito louvor. Um louvor que brota de um coração a transbordar de gratidão pelo que Deus é. E Ele é amor, Ele é justiça...
Na sua oração, o Salmista revela um medo comum a todos nós: a solidão na velhice. Por isso, ele suplica a Deus para que não o desampare quando for velho. Quem tem Deus, nunca está só! E ele sabia disto. Façamos da oração do Salmista a nossa própria oração: "Ó Deus, não te ausentes de mim..." No verso 14, o Salmista expressa um belíssimo desejo: louvar cada vez mais. E logo a seguir, ele propõe-se ser grato por todas as bênçãos, inclusivé as "invisíveis". Seria bom que partilhássemos sempre as bênçãos, aquilo que Deus tem feito nas nossas vidas. E Ele tem feito tanto!
No versículo 20, o Salmista revela uma confiança inabalável em Deus. Queixou-se, pois os seus problemas são assustadores, mas tem a certeza que Deus o ajudará, que Ele aumentará o Seu poder em si, que lhe dará forças para aguentar as circunstâncias difíceis até que lhe dê o almejado livramento. Oxalá tenhamos o Salmista como referência. Apesar das aflições, dos problemas avassaladores, louvemos ao Senhor Deus. Afinal, Ele deu-nos a salvação! E isto é motivo mais do que suficiente para O louvarmos continuamente... "Em tudo dai graças..." (I Tessalonicenses 5:18)

Sem comentários:

Enviar um comentário